Com a perda da Lionsgate, chegou a vez da Legendary fazer a sua entrada na franquia “Massacre da Serra elétrica“, chamou para produção o diretor queridinho de Sam Raimi, Fede Alvarez, para a produção e traz uma nova perspectiva para a franquia que está em maus lençóis, o novo filme será uma sequência direta do original de Tobe Hooper, pegando a inspiração do último grande revival de sucesso do cinema de horror: “Halloween”(2018).

The Texas Chainsaw Massacre (2021) Poster - PosterSpyHalloween balançou o universo de terror em 2018 e ainda ganhará duas sequências para concluir sua história, num quesito mercadológico o filme foi um estouro, custou 10 milhões e arrecadou mundialmente mais de 250 milhões, a crítica também gostou do filme, sendo indicado há diversas premiações de nicho e uma indicação no Critics Choice Awards, era uma questão de tempo até os estúdios irem atrás de reproduzir o efeito feito pelo filme da Blumhouse, com o interesse em fazer um novo “Hora do Pesadelo”, a franquia “Sexta-Feira 13” em batalha legal e dois projetos encaminhados da franquia “Hellraiser”, nós vamos ter muito conteúdo de velhas franquias, desses, os mais próximos são a sequência de “Pânico” que será o primeiro filme sem o grande Wes Craven na direção e a nova aventura de Leatherface.

O filme porém, está passando por alguns maus bocados, foi gravado na bulgária com a direção feita pelos irmãos Andy e Ryan Tonhill mas que na primeira semana de filmagem, saíram por questões criativas e foram rapidamente substituídos por David Blue Garcia, um diretor de fotografia experiente mas que só tem um filme na cadeira de diretor.

O filme irá juntar Leatherface e Sally Hardesty depois de anos separados, Alvarez afirmou que o filme seria uma sequência direta e que seria o mesmo Leatherface que vimos no original, logo em seguida, foi confirmado o retorno de Sally e Kim Henkel, co-escritor do original que volta na produção executiva, isso seria motivo de muita alegria para os fãs da franquia se não fosse por Gunnar Hansen ter morrido em 2013 e Marilyn Burns, em 2014, ou seja, um elemento muito importante para um revival se perde, o do retorno de parte do elenco igual. Isso não é necessariamente um problema, mas o principal motivo de êxtase dos fãs em Halloween era o retorno de Jamie Lee Curtis, do envolvimento de John Carpenter depois de anos e da possibilidade da volta de Nick Castle(tivemos por uma cena e na respiração do personagem), numa situação onde os dois protagonistas e o diretor estão mortos e a única pessoa envolvida no filme que estava também envolvido no original é um co-roteirista, já não parece ter uma necessidade tão forte de um revival, pelo menos não com Sally Hardesty de volta, já que seu envolvimento com o personagem é contido no ato final do original, onde não tem nenhum desenvolvimento entre os dois, mas como hoje temos duas pessoas registradas para serem Sally, existe a probabilidade de flashbacks para tentar trazer mais justificativa para o encontro dos dois.

Outra coisa extremamente importante é que em momento algum, tivemos alguma notícia da família Sawyer estar na nova produção, que é um mecanismo muito importante para Leatherface, é a família que torna especial, não é como se todo o filme da franquia que fosse bom tivesse os Sawyer, mas é uma oportunidade de fazer justiça a personagens que foram muito mal utilizados nos últimos anos.

Por mais que todas essas informações sejam de preocupação para alguns fãs, Alvarez tem uma boa filmografia, incluindo o remake de “Evil Dead” que é muito comemorado por fãs pelo seu tom extremamente sombrio e o gore exagerado, o elenco do filme possui bons nomes, Mark Burnham, além de parecer com Hansen, ele está atuando a muito tempo, substituindo Burns, temos Olwen Fouéré que esteve em “Mandy” fazendo o papel de Sally, fora isso, foi prometido um filme extremamente old school, com um ritmo e poder igual o da década de 70, o comprometimento já é maior do que vemos nos últimos tempos.

O filme ainda não tem data de estreia mas está previsto para 2021.